Nenhum produto no carrinho.

O meu método de trabalho na hora de criação

O meu método de trabalho na hora de criação

Ser criativo é uma maratona sem fim.

Os métodos criativos não são uma receita com o passo a passo para seguir fielmente. O meu método criativo na hora de criação é para mostrar-te a forma de como trabalho, mas nem sempre é assim. Por vezes, é necessário fazer ajustes, porque cada ilustração é única.

O meu processo de trabalho na hora de criação está dividido em 3 fases principais. É claro, que está de forma genérica, mas é a base fundamental para qualquer trabalho que desenvolva.

# 1: Pensar analogicamente

O meu processo de trabalho criativo começa sempre com o auxílio dos suportes físicos: papéis, restos de cartolinas, folhas de cadernos que já não são úteis e que tenha cá em casa (não é preciso ter folhas novas). Também costumo utilizar lápis e marcadores pretos.

No papel que escolher, começo por escrever palavras relacionadas com o trabalho ou o tema que vou desenvolver; possíveis combinações de cores ou cores que associo ao tema em questão; como se costuma dizer “tudo o que vier à cabeça” porque pode parecer algo sem sentido no momento, mas mais tarde revelar-se numa ideia importante. Depois de já ter uma base de ideias bastante preenchida, faço uma seleção das mais pertinentes.

Lembra-te de que não se constrói uma casa pelo telhado! ✨

# 2: Pensar visualmente

Está na hora de começar a fazer uns riscos, de onde surgirão os primeiros esboços que irão evoluir para uns esboços mais elaborados e estruturados. É importante desenvolver bastantes desenhos até conseguir obter o pretendido e claro, muita pesquisa para saber o que já existe.

Em seguida, destaco com o marcador preto o que me parece mais enquadrado e interessante para o projeto e deixo a lápis tudo aquilo que não foi selecionado. No entanto, mais tarde, o que foi deixado a lápis pode ser útil para o desenvolvimento, por isso, nunca apagues nada!

#3: Do analógico para o digital

Neste passo fotografo ou digitalizo os esboços finais para o computador. Depois estes esboços serão a primeira layer no programa de desenho. É normal que o último esboço manual não seja exatamente igual ao finalizado no computador. Este processo está em constante mudança, mas sempre de acordo com as ideias e conceitos estabelecidos inicialmente para o projeto.

Nestes últimos tempos, tenho utilizado mais o adobe illustrator porque gosto mais de trabalhar com cores planas, mas também uso o adobe photoshop para trabalhar com os pincéis, pois permitem misturar as cores de uma forma mais fácil.

Para finalizar…

Sei que pode parecer simples, mas é o processo de criação requer muito pensamento, dedicação e rigor. No entanto, cada pessoa encontra o seu método de criação e nem sempre o que resulta comigo pode funcionar contigo. Por isso, aconselho que experimentes diversos processos criativos e sai da tua zona de conforto porque só assim é que consegues evoluir!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *